CNA

CNA discute rastreabilidade bovina e carne sustentável na Expointer

Reunião aconteceu nessa quarta-feira no Parque de Exposições Assis Brasil


Presidente da Comissão, Antônio Pitangui de Salvo, falou sobre o sistema Agri Trace Rastreabilidade Animal - (André Feltes / Agência Preview)

A Comissão Nacional de Bovinocultura de Corte da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) se reuniu na quarta (28) para discutir os protocolos de rastreabilidade bovina e o reconhecimento do conceito carne sustentável. O encontro aconteceu na programação da 42ª Expointer, em Esteio (RS).

O presidente da Comissão, Antônio Pitangui de Salvo, falou sobre o sistema Agri Trace Rastreabilidade Animal, desenvolvido pela Confederação, em que o pecuarista adere a um dos protocolos de qualidade das raças bovinas e é bonificado, agregando valor ao produto ao certificar sua carne.

"Se quisermos vender animais, especificamente bovinos para a União Europeia, precisamos ter nossos animais identificados e o mercado precisa entender que esse ingresso no mercado europeu pode ser adquirido na CNA, porque é um trabalho bem feito, direcionado e simplificado", afirmou.

"A rastreabilidade é uma ferramenta para agregar valor à cadeia da carne bovina, mostrando como a pecuária brasileira é sustentável ao aliar tecnologias produtivas e conservação ambiental", frisou o coordenador de Protocolos de Rastreabilidade do Instituto CNA, Paulo Costa.

Durante a reunião, a Embrapa apresentou os protocolos de Carne Carbono Neutro e Carne Baixo Carbono. Os protocolos certificam carnes produzidas em sistemas que neutralizam ou reduzem a emissão de gases de efeito estufa emitido pelos animais. Carne Carbono Neutro é alcançado com Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF) ou Integração Pecuária-Floresta (iPF). Já a Carne Baixo Carbono é com manejo de pastagens.

"Esses protocolos são uma amostra de que conseguimos mensurar de forma competente e confiável a emissão de gases na pecuária. É um trabalho muito importante, ainda na base 1.0, mas que já mostra o que estamos fazendo e não apenas falando sobre produção sustentável", ressaltou Antônio de Salvo.

O presidente da Comissão apresentou no encontro o Comitê Executivo Pecuário, lançado no início do mês na CNA para estreitar o relacionamento e discutir estratégias para o desenvolvimento da pecuária brasileira. "É um apoio dos pecuaristas à comissão para que ela tenha voz e nossos principais pleitos sejam atendidos."

SEE ALSO ...