Farsul

Economista-chefe da Farsul, Antônio da Luz, recebe a Medalha Assis Brasil nesta sexta-feira

A comenda é concedida a pessoas que se destacam pela sua contribuição ao agronegócio gaúcho


O economista-chefe da Farsul, Antônio da Luz, recebeu nesta sexta-feira (30/08), uma das principais honrarias concedidas àqueles que contribuem para o agronegócio gaúcho: a medalha Assis Brasil. Resultado de uma história de duas décadas dedicadas a traduzir em números a expressividade da agropecuária gaúcha. As análises feitas pela assessoria econômica embasam reivindicações de diversos setores, traçam comparativos e expõem o diagnóstico dos sucessos e dos obstáculos que são sentidos todos os dias, no interior gaúcho.

A comenda foi entregue durante a Expointer 2019, um significado especial para Antônio da Luz: "A Expointer é a nossa Copa do Mundo, trabalhamos o ano todo para chegarmos aqui. E receber esse prêmio, embora não seja o objetivo do nosso trabalho, é uma demonstração de que vale a pena não ter horário para começar ou terminar o expediente, fazer 70 palestras no interior do Estado, atender a demanda de todos os sindicatos rurais que nos pedem. Vale a pena a gente se envolver, não só profissionalmente, mas também emocionalmente com os problemas do agro. Essa medalha tem um significado tremendo e eu divido com a diretoria, meus colegas da assessoria econômica e cada colega da Farsul, do Senar e da Casa Rural, porque nós trabalhamos de maneira unida".

Antônio da Luz entrou no Sistema Farsul aos 18 anos, recém aprovado no vestibular, na posição de estagiário do Senar. Virou assistente administrativo, analista de arrecadação e ajudou a montar um modelo de projeção de arrecadação que é modelo e funciona até hoje. Para equipar a assessoria econômica, teve a confiança do então presidente Carlos Sperotto, mas teve que superar a desconfiança de quem estava do lado de fora:

"A imprensa nos enxergava como uma extensão de uma fazenda, um galpão. No início, ninguém dava nenhuma credibilidade para o conteúdo econômico que a gente produzia. Isso foi extremamente desafiador e me motivou mais ainda. Saímos da descrença para o relatório Focus. Até hoje, a Farsul é a única federação empresarial do Rio Grande do Sul que participa do Focus".

Sobre como foi atraído para o meio rural, Antônio da Luz relata que vem de uma família ligada ao campo. O pai, produtor rural, é veterinário. Mas Antônio queria usar ferramentas diferentes para ver a propriedade produzir e crescer: "O agro sempre nos manteve unido, mas de forma diferente. Eu nunca gostei da lida campeira ou da parte operacional de uma fazenda. Eu sempre me interessei por quanto as coisas custavam, por quanto a gente vendia e quanto estávamos ganhando ou perdendo. Ocupei um espaço que é tão importante no agro quanto essa parte produtiva por influência da minha família, mas principalmente por amor e por vontade".

SEE ALSO ...